Manutenção preventiva: como ela aumenta a produtividade?

Manutenção preventiva: como ela aumenta a produtividade?

Qual indústria não gostaria de prevenir falhas de máquinas e equipamentos, certo? A manutenção preventiva surgiu após a Segunda Guerra Mundial, com o intuito de evitar as ações corretivas de reparos.

Não é por acaso que, atualmente, ela é indispensável para a produtividade e performance das empresas do setor.

Para entender mais sobre o assunto, continue a leitura! Reunimos, neste texto, as principais informações quanto a este modelo de manutenção. 

Vamos lá?

O que é manutenção preventiva?

A manutenção preventiva refere-se a um conjunto de procedimentos que visam antecipar cenários. O principal objetivo aqui é garantir o funcionamento constante do maquinário. 

A NBR 5462 a define como “manutenção efetuada em intervalos predeterminados, ou de acordo com critérios prescritos, destinada a reduzir a probabilidade de falha ou a degradação do funcionamento de um item”.

Já, segundo este artigo, ela também pode ser descrita como todo serviço de manutenção realizado em máquinas que não apresentam falhas. Ou seja, que estão em condições operacionais ou em estado de zero defeito.

Para isso, é necessário um plano de manutenção equilibrado com o fluxo de atividades industriais. Nele serão estabelecidas paradas periódicas que visam a realização de ações preventivas. Como, por exemplo, a lubrificação, troca de peças gastas, pequenos ajustes/reparos e limpezas

> Assim, o perfeito funcionamento da máquina promove um excelente ritmo de trabalho e um bom andamento das operações.

De acordo com um estudo, dentre os processos da manutenção preventiva, há também os levantamentos sobre os equipamentos e processos de revisão. 

Esses relatórios são fundamentais para a redução de falhas inesperadas. Por consequência, as trocas rápidas de máquinas e a necessidade de improvisação, que geram desperdício de recursos, são eliminadas.

Além disso, essa prática também está diretamente relacionada ao estoque da indústria. Isso porque ela colabora com o controle das peças e com a organização dos prazos de reposição das mesmas. O que, portanto, impacta nos investimentos da empresa.

Em resumo, a aplicação desses métodos garante um trabalho fabril mais uniforme, eficiente e seguro. O objetivo aqui é identificar e corrigir possíveis problemas antes que ocorram. Gerando, assim, uma operação contínua e produtiva dos equipamentos. 

Então, essa prática ajuda a reduzir custos com reparos emergenciais, aumentar a vida útil dos equipamentos e melhorar a segurança operacional.

Como a manutenção preventiva aumenta a produtividade da indústria?

como a manutenção preventiva aumenta a produtividade

É simples! Com as ações de prevenção, a manutenção colabora com a continuidade operacional e, consequentemente, com a produtividade da indústria. 

Para isso, elimina as ações corretivas e responsivas que visam apenas remediar danos e reduzir seus impactos.

Logo, as máquinas estarão funcionando por mais tempo e com menor incidência de falhas. O que garante aumento da eficiência e desempenho operacional. 

Assim, a produção será ampliada, permitindo, até mesmo, o alcance da demanda crescente do mercado.

Em outras palavras, a manutenção preventiva colabora com a produtividade da indústria porque garante maior confiabilidade operacional

Isso significa que, com ela, é possível promover o bom estado de conservação dos equipamentos e a disponibilidade deles, quando necessários. 

Logo, evitando interrupções e paralisações inesperadas nos processos produtivos, perdas, retrabalhos e desperdícios de recursos. E, até mesmo, garantindo a elevação da precisão e qualidade do produto final. 

Além disso, a manutenção preventiva garante benefícios como:

  • Redução de custos: ao identificar possíveis problemas que podem se tornar prejudiciais à produção, são eliminados gastos com reparos emergenciais, retrabalhos, perdas e paralisações;
  • Aumento da vida útil dos equipamentos: com a periodicidade das avaliações, a vida útil  dos equipamentos é prolongada. Eliminando a necessidade de substituição precoce e, consequentemente, maiores investimentos; 
  • Maior segurança no trabalho: máquinas desatualizadas, ineficientes e em estado precário são prejudiciais à integridade física dos trabalhadores. A manutenção preventiva ajuda a garantir um ambiente de trabalho seguro e livre de acidentes;
  • Diminuição dos efeitos no meio ambiente: com equipamentos mais eficientes e confiáveis é possível reduzir desperdícios ao garantir a otimização dos recursos. Como, por exemplo, de energia elétrica e água.

Como funciona essa manutenção, na prática?

como funciona a manutenção preventiva

Quando não há qualquer indício de aplicação de ações de manutenção preventiva na indústria, o primeiro passo é o levantamento, mapeamento e cadastramento do maquinário. 

Importante ter, neste documento, um histórico do equipamento. Isto é, ainda segundo o estudo citado acima, deve-se realizar apontamentos quanto:

  • Aos custos de manutenção (mão-de-obra, materiais e lucro cessante nas emergências);
  • Tempo de parada para os diversos tipos de manutenção;
  • Tempo de disponibilidade dos equipamentos para produção;
  • Principais causas das falhas, etc.

Depois da centralização e organização dessas informações é necessário elaborar um manual de procedimentos para a manutenção preventiva. Nele é preciso ser indicada a frequência de inspeção das máquinas em operação, paradas e das intervenções.

Da mesma forma que é extremamente importante listar os recursos necessários para essas operações, desde mão-de-obra até materiais. E, é claro, sempre apostar na capacitação constante de toda a equipe de manutenção.

Aqui também devem ser seguidas as orientações do fabricante, que costuma especificar o tempo recomendado para manutenções. Bem como, aponta práticas necessárias para a mesma, e diretrizes de montagem e desmontagem de peças, por exemplo. Além de dicas de como realizar a limpeza e quais produtos podem ou não ser aplicados.

Passada essa parte de estruturação dos métodos preventivos, chega o momento de colocar em prática o plano de atividades de inspeção periódica. Aqui os ativos e suas características são avaliados de maneira a entender o estado dos componentes, para manter o perfeito funcionamento.

Lembre-se: com tudo planejado será possível agendar verificações que causarão menos impacto à produção. Evitando, então, maiores correções e garantindo o mínimo de interrupções possíveis.

A periodicidade desse monitoramento permite a criação de padrões de fiscalização, manutenção e produções mais eficientes. Ajuda no desenvolvimento de melhorias e na previsão de cenários, antecipando tomadas de decisões estratégicas.

Saiba como garantir ainda mais produtividade à sua indústria!

Como vimos, a manutenção preventiva é uma prática essencial para a eficiência, segurança e durabilidade dos equipamentos. 

Ela é uma ferramenta estratégica para a indústria ao promover produtividade e qualidade dos resultados finais. 

Mas, para além dela, há outras boas práticas que colaboram com o desempenho e precisão na indústria de alimentos. Reunimos elas em um guia completo sobre o assunto. 

Clique no botão abaixo e faça o download gratuito do material!

Como aumentar a produtividade e precisão na indústria de alimentos? Clique e baixe!

Compartilhar:

Assine a Newsletter

Ao informar seus dados, você aceita receber comunicações.

Indústria 4.0: como impacta a conectividade dos equipamentos

Você já deve ter ouvido falar da indústria 4.0, certo? Mas você sabe, de fato, o que significa esse termo? Ou melhor, como esse conceito

Manutenção preventiva: como ela aumenta a produtividade?

Qual indústria não gostaria de prevenir falhas de máquinas e equipamentos, certo? A manutenção preventiva surgiu após a Segunda Guerra Mundial, com o intuito de

Automação industrial: 6 benefícios para a indústria de alimentos

A automação industrial compreende e valoriza a tecnologia como solução importante para o desenvolvimento e crescimento das indústrias. Ao mesmo tempo em que equilibra performance,